Homemade

Homemade

por

Preston Kullingher

 

Desliguei a câmera. Ela dormia cansada. Havia sido um esforço imenso. Ultimamente tinha sido sempre assim. Não sei o que estava acontecendo comigo, ou com ela. Quem era o culpado de nós dois?

Me levantei bem devagar, mas tanto importava, ela não iria acordar mesmo. Tinha o sono pesado demais, podia cair um avião na casa e ela ainda assim apenas resmungaria palavras sem sentido.

Peguei a câmera e fui ao banheiro. O chão do quarto mais parecia uma pista de patinação no gelo, o nervo da minha perna se contorceu quando pisei, então fui na ponta dos pés. O pênis ainda estava duro, como um bastão de beisebol. Não havia gozado mesmo bombando durante quase uma hora, aliás nos últimos meses tenho tido extrema dificuldade para gozar fazendo sexo normal. Digo, normal o feito com outra pessoa.

No banheiro, sento no vaso mas não vou cagar. Na verdade,pretendo me masturbar pra ver se gozo e vou dormir tranquilo mas, isso vai depender do vídeo ter ou não ficado bom. O grande problema era sempre o posicionamento alinhado com a iluminação, quase sempre era escuro justamente porque ela não poderia saber que estava sendo filmada. Ia contra suas crenças católicas e prejudicaria a fidedignidade do vídeo . Gosto de coisas naturais, nada artificial. Me brochava o fato de saber que eram atores e que tudo era encenado, com um diretor atrás das câmeras dizendo – Corta, corta. Mete de novo que no quadro saiu teu ovo esquerdo.

A iluminação estava ótima. Dava pra ver nós dois em ação. O ângulo que não havia ficado muito bom, deveria ter afastado mais para a direita. Ela estava ótima, como sempre. Era linda e fotogênica. Nesse momento estava me masturbando me vendo transar a alguns minutos atrás. Será que sou algum tipo de doente ou pervertido? Ela de quatro foi o clímax do vídeo. Ela de quatro e eu cavalgando atrás, puxando seus cabelos loiros lisos. Me masturbava fortemente mas ainda não conseguia chegar lá. Quase deixo a câmera cair de minha mão direita, já que a outra segurava o precioso. Nada, a chuva de espuma não vinha. O pau começava a murchar. Que merda!

Fui pra debaixo do chuveiro, esfreguei sabonete pra ficar melhor. Agora estava com a mão molhada e não podia segurar a câmera. A mente em outro lugar. Já era.

Lavei o pau, enxuguei as mãos e sentei novamente na privada. Estava curvado e as mãos seguravam os cabelos como se fosse arrancá-los da cabeça em uma completa manifestação de desespero e aflição. Estava ficando louco? Era um deturpado moralmente? Não, não, era apenas um cara estranho, mais um cara estranho nesse mundo cão. Peguei o celular no quarto e voltei ao banheiro. Transferi o vídeo para o celular e apaguei da câmera. Entre outras bobagens que olhava no celular resolvi ver uns sites de putaria, talvez me ajudasse a gozar e ir dormir, era tudo que eu queria. Homemade, Amateur, Teens, Inter Racial, tudo ótimo mas nada me alegrava. Não era suficiente. Eu precisava de mais, muito mais. Olhei algumas sessões de Sketch… muito sujo para mim. Ainda não havia chegado naquele nível. Será que o problema era o fato de que eu na verdade não sabia transar direito? E, por isso não conseguia gozar? Será que eu estava fazendo certo? Será que alguém gozaria me vendo transar? Essas dúvidas ficaram martelando minha mente enquanto olhava outros caras transarem na internet. O pau ficara duro algumas vezes e murcho em várias outras. Havia uns caras que realmente não sabiam fazer nada. Resolvi mandar o meu, saído do forno. Além de contribuir para o site, que presta uma enorme ação social (quase filantrópica), talvez alguém comentasse e com isso sanasse algumas dúvidas, ou, quem sabe, alguém poderia elogiar meu trabalho árduo. Enviei. O ângulo não permitia identificar ninguém, então estava tranquilo com relação a isto.

Continuei vendo mais algumas bobagens no celular. Algumas postagens idiotas no Facebook, as conversas em grupo no Whatsapp. Grupos que tenham homens é sinonimo de videos caseiros de mulheres nuas ou transando com seus parceiros. Celular de homem é pior que um bordel. Olho novamente o site e voilá comentaram a postagem do video. Disseram que era um video ótimo. Um outro cara disse que minha mulher era gostosa. Ao ler os comentários do video meu pau endureceu novamente. Mais comentários. Um cara disse que queria comer ela na minha frente. Outro disse que queria comer ela e eu ao mesmo tempo. Um terceiro disse que queria que eu comesse ele. Eu estava a mil. A cada comentário eu ficava ainda mais excitado. Nossa, imaginei várias daquelas cenas. Era incrível a sensação da fama. Todos aqueles caras desconhecidos dizendo que queriam comer minha mulher… e a mim também. Não que eu fosse veado, mas… Ah! sei lá.

Enfim, após uma enxurrada de comentários gozei profundamente, apenas lendo os comentários que se avolumavam após a postagem do video.

Gozei por simples palavras depravadas de mentes doentias sexualmente. Vendo por esse prisma talvez eu fosse um deturpado sexual.

Limpei o pau no papel. Lavei o rosto. Deitei ao lado de minha esposa e lhe dei um beijo sereno de boa noite, um beijo de puro orgulho pela minha esposa, minha linda esposa.

___________________________________________________________________________________________

Homenagem ao Xvideos.com, parceiro em vários momentos de solidão.

Advertisements

Delete after Read

Delete After Read

by

Preston Kullingher

 

imageAMANDA <amanda_flowers@gmail.com> 06/08/12

for you

 

Delete after read.

I know it’s been a while since we broke up. And since that time and how everything happened I did not have the opportunity to explain my reasons, so I ask you to please read this email until the end. I can’t leave spent more time doing nothing and you once told me that in live we have to do something, act, been more than spectators. And, that’s why I’m acting now, even though it might be too late. I’m acting simply because I love you, even if you do not believe me and you have your reasons for it.

I did not act the best way, I admit. Forgive me for this and for everything that has happened in your life after that. The youth carries in the pack a lot of stupidity, inexperience and arrogance. I was selfish, today I can see and admit it. I wanted to all the world on my backpack, and at the same time did not know exactly what I wanted. I wanted to be with you, but the perspective of a predictable, unchanging life afflict me. The “To have something” and not have the rest scared me a lot. How naive, nobody has everything in life. That’s why we have to take decisions, make hard choices.

I always loved you, but at that moment I decided to deny it to myself and choose the dream, to know and to open the world. To live more.
After that fateful day we broke, I went home and cried all night. On morning after I wiped away my tears, took a deep breath, gathered my things and get out.
I went to Rio and spent some time in the house of friends of friends. I met the Christ, the Sugar Loaf, I walked in the Lagoon, watched a full Maracanã for Flamengo. I went to several parties, in Lapa, in Rocinha. I confess that I was with other guys. Some beautiful, others gorgeous. I kissed girls too. Started as a joke, drunk, and then be normal. But I’ve always had a crush on men.

I left Rio and decided to get to know Europe. And I knew her very well. I started in Portugal, Lisbon. I remember it was your dream to know Portugal. I drank port wine in the city of Porto, I ate Belém’s pasta in Belém. I entered Spain and crossed the whole region of Andalusia, a magical region; Barcelona and its incredible architecture, Madrid; I went in Italy, I’ve been on clouds  seeing the fashion in Milan and the people walking in the streets always very well dressed, the wonderful weather. I watched the own Pope at San Peter’s square in Rome, even not be Catholic. I saw the lights of Paris and the beautiful Eiffel Tower and the Champs Élysées.

I’ve been with other people all these times, never enjoyed being alone. Saying that Happiness only real when shared. And it is truth. But in all those moments, places, cities, different countries, I’ve never been able to forget you. An image and a taste did not out of my mind. That hour when sleep does not come and that we lie down, simply wandering in the outer space of the mind, in those hours I would see myself remembering that kiss given by us on that bridge, remember? I laughed and wondered why I was thinking about it, it was so old, so long ago, and had no sense. But it was an image that hammered my mind, sometimes hiding in the fog of thought but did not fade. It was like a nail in the wood, a thorn in the flesh, it bothered, it was always there.

It’s been four years since that kiss and a lot has changed. I changed, you sure have changed too. Must be married already, with son …. Maybe this is not even your email anymore, maybe I’m just wasting time typing all this up, but I needed to tell you that, even if it means nothing more:

You were the only person I really loved in life and I hope one day you can forgive me for what I did.

It took me a long time to accept this and in that period I thought I loved other people, but I discovered that love does not pass, does not age, does not die, for it is not passion that, like fire with time, dissipates. Love is divine.
I do not need to be with you or have you in my life again (though that would be wonderful!) To have this certainty.
The mere fact that you know that I’ve always loved you is enough for me. The simple certainty that you read this letter in e-mail form already comforts my spirit. I wish from all of my heart that you are happy, with whoever you are and that one day you can forgive me for all the bad and all the pain that I have caused you. The selfishness of eighteen did not make me look at the impact my actions would have on others’ lives, but it is never too late to repent and ask for forgiveness.

Amanda.

__________________________________________________________________________________________________

imageDavid Souza <davidsouza86@gmail.com> 08/08/12

para amanda_flowers

 

Hello Amanda, Your words are beautiful, simple, courageous, definitive.
Unfortunately time is a cruel enemy with all of us humans.
David will not be able to read this letter, he died a while ago.

He was very bad at the time with the end of the courtship, could not stand the situation well …
He started to drink every day, I think as a way of escape, forget everything, erase existence. Until one day he left and did not come back.
They found the car on the cliff, we do not know for sure what happened, if it was an accident, if there was another car involved, or if he …

I would very much like you to know that neither I nor anyone in my family blames you for what happened, you were young, you are still very young, unfortunately he did not endure all those emotions coming all at once.

In his absence I accept your apologies and for me feel forgiven of everything you have done.

Life goes on, we learn from our mistakes and correctness, with our attitudes. Everything is learning.

Every moment we let pass, sometimes out of shame, out of fear, because we think it means nothing else, we miss the opportunity to reconcile with ourselves and with whom we love, which is what really matters. From start all over again, write a new chapter in the book of our lives. And sometimes it may be too late.

A big hug

Peter

______________________________________________________________________________________________

Desperate tears fell endlessly across the screen.

Leia e Depois Apague

Leia e Depois Apague

Preston Kullingher

 

image AMANDA <amanda_flowers@gmail.com> 06/08/12

LEIA E DEPOIS APAGUE.

Eu sei que já faz um certo tempo que terminamos. E desde aquela época e pela forma como tudo ocorreu não tive oportunidade de explicar meus motivos, por isso peço a você que por favor leia este e-mail até o fim. Não posso deixar passar mais tempo sem fazer nada e você mesmo disse uma vez que na vida nós temos que fazer algo, agir, sermos mais que espectadores. E, por isso eu estou agindo agora, mesmo que possa ser tarde demais. Estou agindo simplesmente porque eu amo você, mesmo que não acredite e tem suas razões para isso. Não agi da melhor maneira, reconheço. Me perdoe por isso e por tudo que ocorreu em sua vida depois disso. A juventude carrega na mochila muita estupidez, inexperiência e arrogância. Fui egoísta, hoje sei ver e admitir isso. Eu queria abraçar o mundo com as pernas, com os braços, com os dedos, tudo, e ao mesmo tempo não sabia exatamente o que queria. Eu queria estar com você, mas a perspectiva de uma vida previsível, sem mudanças me afligia por dentro. O “ter algo” e deixar de ter tudo o mais me assustava bastante. Quanta ingenuidade, não se pode ter tudo na vida, ninguém tem tudo na vida. É por isso que temos que tomar decisões, fazer duras escolhas.

Eu sempre amei você, mas naquele momento decidi negar isso pra mim mesma e escolher o sonho, conhecer e desbravar o mundo. Viver mais intensamente.

Depois daquele fatídico dia em que terminamos, fui pra casa e chorei a noite toda. No outro dia limpei as lágrimas, respirei fundo, juntei as minhas coisas e me mandei.

Parti rumo ao Rio de Janeiro e passei um tempo na casa de umas amigas de umas amigas. Conheci o Cristo, o Pão de açúcar, caminhei na lagoa, assisti um maracanã lotado pelo Flamengo. Fui em várias festas, na Lapa, na Rocinha. Confesso que fiquei com outros caras. Alguns bonitos, lindos, maravilhosos até… . Beijei mulheres também, várias aliás. Começou por brincadeira, bêbada e depois virou normal. Mas sempre tive uma queda por homens.

Saí do Rio e decidi conhecer a Europa. E a conheci muito bem. Comecei por Portugal, Lisboa. Lembro que era seu sonho conhecer Portugal. Bebi vinho do porto na cidade do Porto, comi Pastel de Belém em Belém. Entrei na Espanha e atravessei toda a região da Andaluzia, uma região mágica; Barcelona e sua arquitetura incrível, Madrid; Fui na Itália, morri, toquei o céu e voltei vendo a moda em Milão e as pessoas andando nas ruas sempre muito bem vestidas, o clima maravilhoso. Assisti uma missa feita pelo próprio Papa em Roma, mesmo não sendo católica. Vi as luzes de Paris e a linda Torre Eiffel e o Champs Ellysés.

Estive com outras pessoas em todos esses momentos, nunca gostei de estar só. Dizem que a alegria é melhor quando é compartilhada, e é a mais pura verdade.

Mas em todos esses momentos, lugares, cidades, países distintos, eu nunca consegui esquecer você. Uma imagem e um gosto não me saíam da cabeça. Aquela hora em que o sono não vem e que a gente fica deitada, simplesmente vagando pelo espaço sideral da mente, nessas horas eu me via lembrando daquele beijo dado pela gente em cima daquela pontezinha, lembra? Eu ria e me perguntava o porquê de estar pensando naquilo, era tão antigo, fazia tanto tempo, e não fazia a menor noção. Mas era uma imagem que martelava a minha mente, às vezes se escondia na névoa dos pensamentos mas não se apagava. Era como um prego na madeira, um espinho na carne, incomodava, estava sempre lá.

Já se passaram quatro anos desde aquele beijo e muita coisa mudou. Eu mudei, você com certeza também mudou. Deve já estar casado, com filho… . Talvez esse nem seja mais seu e-mail, talvez eu só esteja perdendo tempo digitando tudo isso, mas eu precisava dizer isso a você, mesmo que não signifique mais nada:

 

VOCÊ FOI A ÚNICA PESSOA QUE EU REALMENTE AMEI NA VIDA E ESPERO QUE UM DIA VOCÊ POSSA ME PERDOAR PELO QUE FIZ.

 

Eu demorei muito tempo para aceitar isso e nesse período pensei ter amado outras pessoas, mas eu descobri que o amor não passa, não envelhece, não morre, pois não é paixão que, como fogo com o tempo se dissipa. O amor é divino.

Eu não necessito estar com você ou ter você na minha vida novamente (apesar de que isso seria maravilhoso!) para ter a esta certeza. O simples fato de você saber que eu sempre amei você já me basta. A simples certeza de que você leu essa carta em forma de e-mail já me conforta o espírito. Desejo do fundo do meu coração que você seja feliz, com quem quer que você esteja e que um dia você possa me perdoar por tudo de ruim e toda dor que eu te causei. O egoísmo dos dezoito anos não me fez olhar para o impacto que minhas ações causariam na vida dos outros, mas nunca é tarde para se arrepender e pedir perdão.

 

AMANDA

 

 

___________________________________________________________________________________________________

David Souza <davidsouza86@gmail.com> 08/08/12

para amanda_flowers

 

Olá Amanda, Suas palavras são lindas, singelas, corajosas, definitivas.

Infelizmente o tempo é um inimigo cruel com todos nós seres humanos.

O David não vai poder ler esta carta, ele morreu já faz um tempo.

Ele ficou muito mal na época com o fim do namoro, não aguentou bem a situação…

Ele passou a beber todos os dias, acho que como forma de fuga, esquecer tudo, apagar a existência. Até que um dia ele saiu e não voltou mais.

Acharam o carro no despenhadeiro, não se sabe ao certo o que aconteceu, se foi um acidente, se havia outro carro envolvido, ou se ele…

Eu gostaria muito que você soubesse que nem eu e nem ninguém da minha família te culpa pelo que aconteceu, vocês eram jovens, você ainda é muito jovem, infelizmente ele não suportou todas aquelas emoções vindas todas de uma vez.

Na ausência dele eu aceito suas desculpas e por mim sinta-se perdoada de tudo que você tenha feito.

A vida é assim mesmo, aprendemos com nossos erros e acertos, com nossas atitudes. Tudo é aprendizado. Cada momento, cada instante a mais que deixamos passar, às vezes por vergonha, por medo, por achar que não significa mais nada, perdemos a oportunidade de nos reconciliarmos com nós mesmos e com quem a gente ama, que é o que realmente importa. De começarmos tudo de novo, escrever um novo capítulo no livro das nossas vidas. E às vezes pode ser tarde demais.

 

Um grande Abraço

 

PEDRO SOUZA

 

 

__________________________________________________________________________________

Lágrimas desesperadas caíam intermináveis do outro lado da tela.